quarta-feira, 21 de maio de 2008

É agora que te vejo tropeçando quase caindo, quase viva, quase alguém. É agora que te vejo enlouquecendo quase bonita, quase um pub, quase vinho.
Quando surgir aquela velha dúvida entre ser tragável ou não, boa ou má, vou te ouvir gritar que as minhas estúpidas análises não servem para porra nenhuma. Não servem mesmo. Aí você sairá correndo com quase vontade de se jogar da ponte, quase mulher, quase vivendo.
Quarenta e sete minutos depois você olhará nos meus olhos quase arrependida. Vai me pedir um cigarro, uma vodka, uma cachaça. Talvez peça até colo.
Tudo isso é quase bom.

2 comentários:

(...) disse...

e me basta.

•°_кαh•°_ disse...

Hum...
É bom ver que estás de volta!!!

xD
Já sentia falta dos teus textos, moça!
Meu blog tá meio abandonado... me falta tempo e criatividade para poder postar algo!!
Bjux

;)